domingo, 14 de março de 2010

Ninguém.

Eu não preciso de ninguém, já disse...
De ninguém!

Depois de tantos anos fumando esses cigarros, perdi a noção do que é generosidade, humanidade
onde se perderam essas qualidades éticas, para mim e para você.
O fato é que não sei porque estou sentada nesse maldito sofá...há um tempo atrás eu era tão feliz, cercada de amigos, cercada de festas e tanta felicidade, eu só não reparava no mundo.
Era mais feliz ser ignorante...
Quando abrimos os olhos, o mundo não parece colorido, é cruel e sinistramente desonesto.
E eu continuo me perguntando, que diabos estou sentada ainda nesse maldito sofá, fumando esses cigarros, e fingindo ter o mínimo de dignidade...
Fechei os olhos para o Ser Humano, me transformei em uma máquina.


mas juro, juro que essa não sou eu....

3 comentários:

Suka disse...

Cara é sério mesmo que está se sentindo assim ? Poxa teu texto é bem profundo, parei até para refletir . Bom eu gostei demais .

Liv Milla disse...

Te conheço pouco, mas tenho certeza de que não é!

Você jamais vai fechar os olhos para o ser humano

É apenas uma fase, mas passa!

Beijos!!!

Natallia Alves disse...

Adorei esse texto, está perfeito! É de sua autoria?!

Beijos, me liga!