terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Vomitaram no meu carro, e agora Márcia?

Discussões tão focadas na perda de tempo que se tornam constrangedoras.
Lógicamente a infantilidade é uma peça quase que natural dessas insuficiencias cerebrais.
Quando não escutamos frases como:

"Fiquei com ele porque tava bêbada"
"Te falei aquilo porque bebi demais"
"Ah gente, bebi muito e fiz um monte de besteiraaa...Cruzes"
"Fiquei com ele pra fazer raiva no outro"

Comentários desse tipo me fazem pensar no que as pessoas realmente são, ou o que pensam.
Não adianta, frases eternas de Chaplin, Oscar Wilde ou um capítulo do livro de Clarice Lispector não vão mudar o que você é ou deixa de ser.

Partindo do dilema não bebo, não fumo e não fodo...pode até ser bonitinho.
Mas a vida necessita mesmo de experiências, de técnicas, de amplitute contextual, que tomam forma de fertilizante e fazem você crescer e parar de se meter na vida alheia tentando adivinhar os gostos e necessidades.

Bebo, fumo e fodo, e prefiro alguém que vomite no meu carro , mas tenha autenticidade!


;*

2 comentários:

JahMorreu disse...

Comentando de trás pra frente, dizes isso porque nunca lavou carro vomitado !

E mais, frases eternas de pessoas manjadas das quais você nunca leu mais do que 30 caracteres mudam você sim ! Pelo menos sob o MEU ponto de vista...

Por último, ou por primeiro, vá lá, já "te falei aquilo porque tava bêbado". Afinal, bêbados não mentem e pouco escondem.

Quem nunca falou e se arrependeu que atire a primeira garrafa !

=P

alone in the dark disse...

Concordo com você, o que importa é a pessoa ser autêntica, falar o que realmente pensa, fazer o que realmente quer. Como já dizia a música "Maskara" da Pitty: "seja você mesmo que seja estranho"