quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Hoje.

Ela acordou, abriu mão dos seus sonhos e desejos, abriu mão de suas grandes metas, e começou o dia.

pensou no hoje, nos momentos inesquecíveis, no que dissolve, no que não dura, no que faz saudade, no que é inesperado, no impermeável, no beijo na cabeça na hora da despedida dentro do carro, no que é adiantado, naquilo que é inviável...e na união por uma boa causa.
E deu vontade de chorar. mas ela segurou e resolveu que será sempre forte, mesmo com aquele nó na garganta e a incerteza do dia seguinte.

Resolveu viver para a vida, para um dia como qualquer outro...

Quando finalmente percebeu, viu que as coisas boas ficam tempo suficiente para cumprir alguma missão.

Ela aceita o que a vida sempre traz, mesmo não estando de acordo.

Até não aguentar e se jogar do alto da pedra.
E talvez , como a vida sempre traz surpresas, ela continue viva.

#Rivotril mode activated.

2 comentários:

Natallia Alves disse...

Adorei esse texto, melancólico - como sempre! - mas bem escrito, parabéns!

Ah! Momento marketing: visita o meu, tem post engraçado lá...

Beijo-me-liga.

Cintia disse...

Letícia. Acredito muito em amizades que nascem assim, do caos, do inesperado, da necessidade, do desepero, da busca, da música e da arte(elas estão sempre presentes, mesmo que não percebamos), do choro. E apesar da distância e do pouco tempo, me sinto muito feliz de termos nos conhecido. Adorei ler suas palavras. Um beijo e um abraço bem apertado!